Archive for the ‘comportamento’ Category

volta às aulas…

07/02/2012

volta às aulas e a nossa vidinha normal….

Muitas de nós já estamos correndo sem parar, preparando as coisas pros “filhotes” que voltam pras escolas, e nós pras nossas atividades…. ufa!!!!

Mas, vc já percebeu no seu filho alguma indisposição para esse tempo que deveria ser de ALEGRIA???

Será que para o seu filho, aprender, ir a escola tem sido um sofrimento????

Fique atenta a alguns detalhes que podem estar acontecendo com ele ou ela…

E essas dicas eu li numa reportagem super completa sobre crianças com disturbios de atenção…

Esses sintomas muitas vezes passam pelas nossas vidas, pelas vidas dos nossos filhos na primeira infância, entram pelos anos escolares dos nossos queridos, e achamos que eles “não estão nem aí” com o estudo…

mas muitas vezes eles estão se debatendo para encontrar um caminho para lutar com essas dificuldades…

estão num embaraçado, tentando desembaraçar…

e, será, que estamos atentos para ajudar????

Até que idade eles lutarão em busca de uma ajuda, se não estivermos atentos….

Vale a pena dar uma lida na reportagem…. principalmente se no quadro acima vc se identificou com alguma coisa!!!!

Quando aprender é um sofrimento

“Crianças com distúrbios de aprendizagem podem chegar à vida adulta sem desenvolver plenamente suas capacidades

É na idade escolar que os sintomas dos distúrbios de aprendizagem tornam-se mais visíveis. A criança tem dificuldades em áreas como escrita, leitura e matemática – problemas frequentemente confundidos com falta de inteligência, preguiça ou desleixo. É verdade que nem todos os casos são de distúrbios de aprendizagem. A maioria, aliás, está relacionada à falta de motivação, inadequação ao método de ensino, problemas na interação com o professor e até doenças como anemia, depressão ou comprometimento da visão e audição. Todas essas questões influenciam o aprendizado e devem ser descartadas antes de se partir para o passo seguinte: investigar a existência de distúrbios de aprendizagem, que são disfunções de bases neurobiológicas.

“Quando essas disfunções não são adequadamente identificadas e tratadas, a criança pode ter seu desenvolvimento escolar, psicológico e social comprometido e, por vezes, carregar o problema ao longo da vida. Além de afetar o desempenho educacional, esses transtornos acabam com a autoestima e podem, ao longo do tempo, desencadear outros sintomas, como ansiedade e depressão”…

O diagnóstico não é fácil, pois não há exames de imagem ou laboratoriais que permitam identificar esses distúrbios. Em geral, isso é feito por meio da avaliação da criança por diferentes profissionais, como neurologista, psicopedagogo, psicólogo e fonoaudiólogo.

Dislexia

A dislexia atinge de 4% a 5% da população e é caracterizada pela falta de fluência na leitura, dificuldade para soletrar, fazer rimas e escrever corretamente. O disléxico costuma trocar sílabas e letras parecidas, como “v” e “u”, na hora de ler e escrever. “Mesmo sendo inteligente e apresentando bom desempenho em outras áreas, quem tem o problema acaba ganhando o rótulo de burro e preguiçoso. A tendência é, com o tempo, perder o interesse pela escola”

O diagnóstico é feito a partir da avaliação de uma equipe multifuncional formada por neurologista, psicopedagogo, psicólogo e fonoaudiólogo, com base na história da criança e em uma série de testes que mostram sua capacidade para desenvolver determinadas atividades.

O tratamento inclui exercícios de decodificação fonológica para reabilitar as funções neurológicas envolvidas no aprendizado. 

Transtorno não-verbal da aprendizagem

Algumas pessoas leem fluentemente, mas não conseguem interpretar o conteúdo de um texto, têm dificuldade para realizar operações matemáticas mais complexas e executar tarefas como desenhar um cubo, jogar tênis ou andar de bicicleta.

A avaliação, como na dislexia, é feita por uma equipe interdisciplinar, a partir da aplicação de testes neuropsicológicos. O tratamento também deve envolver diferentes profissionais, como neurologista, psicólogo e fonoaudiólogo.

Discalculia

A criança com discalculia pode apresentar um desenvolvimento cognitivo normal e, mesmo assim, enfrentar sérias dificuldades com a matemática.

O tratamento, orientado pelo neurologista, envolve a realização de jogos e atividades psicopedagógicas que facilitam a descoberta de novos processos de aprendizagem.

TDAH

Observado em 5% a 6% das crianças e jovens de até 18 anos, o transtorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) afeta a aprendizagem, principalmente em razão da impulsividade, dificuldade para se concentrar e memorizar.

Quando chega ao final da leitura de um texto, o portador de TDAH muitas vezes não lembra mais do início. Outro problema que pode estar associado é o difícil relacionamento com pais, professores e colegas de classe. No adulto, o TDAH costuma afetar o sucesso profissional e o convívio familiar, afetivo e social.

O diagnóstico não é simples. A criança precisa ser submetida a uma avaliação extensa, na qual se busca identificar os prejuízos causados nos diferentes ambientes frequentados, como o familiar e o escolar, em um período mínimo de seis meses. A doença pode ser tratada com medicamento, acompanhamento de psicopedagogo para o paciente e também para a família.”

beijos

Anúncios

guarda-roupa real!

13/07/2011

Esse é o  tema, escolhido por Camila Neves, minha amiga e repórter de beleza e saúde da revista Claudia, para nos presentear, aqui, no Mulher Excelente!

“Em abril deste ano, a inglesa Kate Middleton realizou o sonho de infância de milhares de meninas ao redor do mundo: casou-se com um príncipe e agora vive um conto de fadas.

Depois da cerimônia grandiosa assistida por mais de dois bilhões (!) de pessoas e de uma lua-de-mel digna de realeza (foram dez dias num resort de luxo nas Ilhas Seychelles), chegou a hora do casal real William e Kate, atuais duque e duquesa de Cambrigde, fazerem sua primeira viagem oficial juntos.

Eles já passaram pelo Canadá e agora estão nos Estados Unidos, mais precisamente em Los Angeles. Em meio a tantos eventos sociais, o que mais tem chamado a atenção da mídia são os looks desfilados pela duquesa. Dona de um estilo clássico de se vestir e de uma postura naturalmente elegante, seu gosto duvidoso do início do namoro com William, há oito anos, foi severamente criticado.

As melhoras ocorreram ao longo do tempo, mas foi só depois do anúncio do noivado, no final de 2010, que ela começou a se vestir de forma mais refinada, como uma verdadeira princesa.

Maquiagem e cabelos sempre impecáveis, unhas curtas e clarinhas, jóias discretas e vestidos na altura do joelho em cores preferencialmente neutras fazem parte do visual exibido por Kate na América do Norte.

Linda e chique sem ser vulgar, um exemplo a ser seguido!”

Obrigada Camila!

É sempre muito gostoso ver as fotos da duquesa …  Isso mostra como o meio influencia a nossa postura!

Nosso gosto, nossas escolhas, sempre estão ligados ao nosso convivio!

Se andamos com pessoas educadas, que falam baixo, de gestos discretos, começamos a ter nossos comportamentos lapidados também!

E o contrário também é verdadeiro! Se sentamos de qq maneira, se comemos de qualquer jeito, não cuidamos das nossas roupas e postura, logo logo estamos nos sentindo “bem” com quem assim também age!

Claro que no caso da princesa, numa esfera incomparavelmente  maior!

Mas, o requinte é um detalhe sutil, que se adquire!

E você? Influencia o seu meio, ou é influenciada???

beijos…

Camila, estamos (nós muheres excelentes) te esperando por aqui mais vezes!

 

casamento real… ser princesa!

22/04/2011

Quantas vezes, esse sonho, movimenta o coração de tantas pessoas! Não somente de mulheres, mas de tantos!

E esta aí… semana que vem! Dia 29, com um protocolo de deixar qualquer 1 “louco”! Será que qualquer moça sonha com isso? Sua vida examinada em cada detalhe … seus passos, seus sonhos controlados!

Mesmo assim, o mundo para para assistir o sonho de muitos! Um casamento maravilhoso!

Eu, não poderia deixar de dar meus palpites … postar umas fotinhos que me chamaram atenção … Então vamos lá!

Primeiro, gosto do estilo dela… principalmente o casual,

e acho um charme uso de chapéus …

Realmente, além de linda, ela tem estilo…  e já dita conceitos de moda, comportamento!

E, por toda Londres, encontram-se  “lembranças” que marcam a força desse evento milionário!

Lançada a moeda comemorativa e o selo …

E criado um brasão …

Produtos que movimentam a criatividade e o comércio de muitos …

Boneca da Kate, uma edição limitada ( 5 mil unidades) que está fazendo sucesso entre as crianças da Inglaterra!

A renda da sua venda será revertida para a caridade!

(nessa foto o casal de bonecos)

E os saquinhos de chá? Amei! Super inglês … e muito divertido!

Acredito que o que mais atrai nessa história, é a expectativa das pessoas, em ver um final feliz!

O príncipe e a plebéia com atitude!

E, as escolhas que reportam a saudosa Princesa Diana, homenageada, quando seu filho dá à noiva como anel de noivado, o anel de sua mãe!  Gostei dessa atitude!

O vestido de noiva está guardado a sete chaves e já existem outros 2 como reserva, caso vaze alguma informação!

Me alegrei ao saber que para finalizar o cerimonial, o jovem casal vai  usar a carruagem que foi usada também no casamento dos pais do noivo!

Todo casamento real, merece uma carruagem, né?

Bom, eu assisti o casamento da princesa Diana, e, não perderei esse também!

beijos

e dicas sobre filhos … aí vai 1 pouquinho!

11/04/2011

Eu sei que existem muitos temas para falarmos, trocar idéias, e filhos também é um assunto que nos torna excelentes! A maternidade é um presente de Deus … e a maturidade para lidar com ela, vem junto!

Falaremos sobre bebes, sobre filhos adolecentes, sobre os filhos quando casam … Muita gente excelente, tem verdadeiros tesouros para dividir conosco nesse espaço.

E hoje, vou postar algumas dicas, dadas por Beatriz Riso, uma mãe, educadora, pedagoga e outras “cozitas mais” …

10 dicas para um filho bem sucedido

Num mundo dinâmico e em constante transformação em todas as áreas, os pais começam a se preocupar em como lidar com seu filho.

A escola pode ajudar, mas a família é determinante.

1- Estar próximo de seu filho

Não se trata de quantidade de tempo, mas qualidade. Avalie aspectos como iniciativa, coragem, empatia, capacidade de lidar com adversidades, relacionamentos.

2- Incentivo

Procure sempre elogiar, incentivar, apoiar seu filho. Infelizmente, de modo geral, os pais veem mais defeitos em seus filhos que qualidades. Procure se interessar pelas atividades desenvolvidas na escola, tarefas, relacionamentos, mesmo que ele tenha um ótimo aproveitamento escolar. Elogie e, se necessário, mude a maneira de falar. Troque “Que lição porca e mal feita” por “Sua lição poderia estar com aquele capricho que você sabe fazer muito bem!” Use a autoridade do amor!

3- Hábito de leitura

Os livros ensinam a pensar, imaginar, criar, etc.. Separe um tempo para esse hábito. Enquanto não há, procure ler junto com ele ou para ele. Invista nesse tópico, visite livrarias e bibliotecas, compre livros.

4- Limites

A criança/adolescente precisa ter limite. Estabeleça limites claros e exija que seu filho os cumpra. Evite voltar atrás em regras, mostre a importância de respeitar horários, palavra, pessoas…

5- Postura

O exemplo dos pais é fundamental, aliás em todos os tópicos. Ensine-o a perceber os códigos sociais de cada situação. Nunca fale mal da escola, professores, empregada, etc; mesmo que tiver com razão. A sua opinião, para o seu filho, é fundamental. Quando se critica negativamente um professor, automaticamente o relacionamento professor/aluno estará rompido e dificilmente a criança irá respeitá-lo.

Seu filho precisa aprender a criticar, mas ajude-o a focalizar o comportamento errado e não a pessoa.

6- Independência

Proporcionar programas variados (artes, música, esporte,…) para diversificar os interesses. Nessas situações ele (filho) deverá tomar decisões e fazer escolhas. Os pais podem dar apoio, mas devem resistir à tentação de resolver tudo no lugar dele. Promova desafios!!

7- Valores

Valores sadios como honestidade, honra, respeito, começam dentro de casa e contribuem para consolidar atitudes corretas. Pais que menosprezam serviçais, jogam lixo pela janela do carro, desrespeitam semáforos… não podem esperar que o filho tenha conduta diferente.

8- Encontro familiar

Momentos em família são os mais propícios para o desenvolvimento de habilidades. Pode-se, por exemplo, discutir alguma decisão a ser tomada e a avaliar com você os prós/contra de cada alternativa. Esclarecer que nem sempre se pode ter ou fazer o que se deseja. É uma excelente oportunidade!

9- Metas

Incentive seu filho a ter/planejar alvos objetivos e razoáveis, possíveis de alcançar, para que siga acreditando na própria capacidade de realizar sonhos.

10- Responsabilidade

Encarregue seu filho de ajudar em algumas tarefas de casa e cobre-o por elas. Esclareça a diferença entre “querer” e “precisar”, diante de pedidos fúteis. Ensine-o a pedir perdão quando errar, pois é importante para a sua conscientização das possíveis consequência de seus atos. Já dizia o Grande Mestre: “Sobre o pouco foste fiel, sobre muito te colocarei” Mat. 25:21

Educar filhos é um processo cheio de novidades e dasafios …

Agradecemos a Beatriz pelas suas ótimas dicas e esperamos ouvir seus conselhos mais vezes!

bjs a todas